Um olhar desenvolvimentista sobre a IMPULSIVIDADE



A impulsividade está relacionada ao tempo e sequenciamento, e faz parte do desenvolvimento, podendo ser trabalhada na 4ª capacidade funcional (Resolução de Problemas Compartilhado ) do modelo DIRFloortime®.


A impulsividade pode ser entendida como a capacidade do córtex pré-frontal de não exercer inibição suficiente sobre o sistema nervoso para permitir que você seja capaz de esperar.


Algumas das teorias falam sobre isso como um comportamento cognitivo. Um processo de tomada de decisão para não esperar implica que a decisão pode ser tratada de forma cognitiva.


Mas um impulso é instintivo, que está muito distante do processo cognitivo.


De acordo com Maude Le Roux, terapeuta ocupacional que dirige A Total Approach em Glen Mills, Pensilvânia, há três áreas em que podemos pensar quando se trata de impulsividade:


1) Relacionado com o sistema nervoso: as funções executivas no cérebro, córtex pré-frontal só se desenvolve totalmente até os 21 a 24 anos.

2) Natureza do desenvolvimento : o sistema nervoso tem que se desenvolver através de etapas para ganhar essa maturidade.

3) Relacionado ao tempo e sequenciamento. :Trata-se de gratificação atrasada: não ser capaz de esperar; Eu quero agora. No momento, quando uma criança recebe o impulso, ela não tem o desenvolvimento necessário para entender o que significa esperar.



Imagem: companheiradepressao.com.br



Ainda, importante destacar o papel dos sistemas sensoriais e consequentemente da regulação diante da impulsividade.


Quando existe uma dificuldade com o tempo, ou seja, não entender o que é amanhã, hoje à noite, ontem, então o que significa esperar?


Muitas de nossas criancas estão presas no momento presente. E, nesse momento, todo o passado se foi. É só aquele momento presente que existe. É um impulso instintivo no cérebro primitivo que está pedindo a uma criança para encontrar a libertação em uma ação que eles sabem que não devem fazer, mas não podem parar de fazer.


A cognição pode começar a entrar, mas não rapidamente ainda. Cada comportamento é da percepção da criança. Achamos que a criança é, teimosa ou intencional porque não vê as coisas do nosso jeito, mas ele só está pensando no seu caminho.


Você pode obter algum sucesso com recompensas cognitivas se a criança pode armazenar informações a longo prazo, mas isso vem mais tarde no desenvolvimento.


Inicialmente se faz necessario focar na Regulação ! No momento em que o cérebro é regulado, a criança pode acessar a experiência anterior de aprendizado. A regulação pode levar anos, mas toma formas diferentes. A criança precisa de tempo antes que ela possa finalmente se estabelecer no novo e criar uma resposta adaptativa que é nova em um ambiente regulatório diferente. Temos que seguir a linha do tempo da criança.


Aqui entra a perspectiva do modelo DIRFloortime®: O desenvolvimento guia tudo;


D: Conheça a criança onde elas estão em desenvolvimento. ;

I: Leve em conta as diferenças individuais da criança e

R: Foco na Relação.


As estratégias do modelo se encaixam nas diferenças individuais nos estágios de desenvolvimento. A regulação emocional e sensorial coincidem dentro de cada etapa de maneiras diferentes. Não podemos empurrar a criança muito rápido nem cedo demais.


Referencia: A Closer Look at Impulsivity | Affect Autism

Tradução livre e adaptação/resumo: Karlen Pagel (Motivacao Autismo)

Posts Em Destaque
Posts Recentes