Desenvolvimento da Cognição Social no TEA : Funções Executivas (parte 3)

Funções Executivas: grandes aliadas


Nós experimentamos o mundo como uma sucessão de cenas, ações curtas e sequencias lógicas. Por isso as rotinas e rituais familiares são decisivos no início do desenvolvimento infantil. Importante que se tenha uma “rotina social” para se ter previsibilidade do que acontecerá para gerar segurança a criança. Pouco a pouco vá acrescentando variações para que a flexibilidade possa ser trabalhada.

A função executiva é caracterizada como um processo mental que implica o controle consciente do pensamento, das ações e das emoções, além de permitir adotar uma estratégia flexível frente a tarefas novas ou desafiadoras.

As crianças gradualmente são capazes de pensar de uma forma mais flexível e de controlar seus comportamentos ao mesmo tempo que desenvolvem a compreensão da mente.





As funções executivas são uma família de três processos cerebrais centrais: controle inibitório, memória de trabalho e flexibilidade cognitiva. Essas três funções executivas centrais trabalham juntas de maneiras diferentes, resultando em 11 habilidades de alto nível chamadas habilidades de funções executivas.

1- Memória de Trabalho: nos permite manter uma representação e manipular temporalmente uma informação. Ela vai se desenvolvendo durante a infância e adolescência. E fundamental trabalhar essa habilidade antes das falsas crenças. Ex.: repetir sequencias na ordem e ao inverso, ver que objeto está faltando, imitação, jogos da memória, etc.

2- Controle Inibitório: nos permite autorregularmos os momentos de agir de maneira mais reflexiva e menos impulsiva. Decisivo para atender as normas, para a regulação emociona, para a atencao, evitando distrações, alem de dominar estados mentais e compreender enganos. Ajuda a reagir adequadamente quando escuta o “não”, aguardar turnos, esperar a vez, participar de atividades, respeitar normas, reconhecer perigos e desenvolver estratégias de regulação. Ex.: pareamentos, classificações, identificar o que falta em um desenho, reproduzir um desenho com figuras geométricas, identificar em imagens algo absurdo ou inadequado, seriações, jogos de mesa, atividades de atencao variadas.

3- Flexibilidade Cognitiva: desenvolver um pensamento e comportamento flexível e fundamental para adaptar-se as demandas e prioridades das situações do dia a dia e assim encontrar as regras implícitas as quais determinarão as respostas que devemos escolher a cada regra/situação, bem como a habilidade para alternar entre padrões distintos de estados mentais.


Destaco aqui a habilidade do Planejamento que se desenvolve nos primeiros anos de vida e vai incrementando de maneira progressiva a capacidade de organização e planejamento com visão de futuro. Esse processo mental implicara na capacidade para dirigir a avaliar o comportamento. Se acontecer isso --> ocorre isso Ex.: jogos de construção, agendas de atividades, decompor uma atividades em passos, antecipações.

Embora nossas habilidades de funções executivas se desenvolvam durante a infância e alcancem seu pico em nossos vinte e poucos anos, elas ainda precisam de um trabalho consciente e consistente para ser melhorado e mantido em todas as fases da vida.

Fonte: connectionsinmind.com Tradução/adaptação: Karlen Pagel (Motivação Autismo)

Posts Em Destaque
Posts Recentes