Canais não verbais da Comunicação


Muitas vezes exigimos tanto de nossas crianças que esquecemos de compartilhar experiências simples que favorecem a comunicação.


80% de nossa comunicação deveria ser de compartilhamento de experiências e apenas 20% por desempenho ou demanda. Para isso, precisamos nos habituar a utilizar principalmente os canais não verbais da comunicação para não corrermos o risco de estar monopolizando a comunicação com nossas crianças.


Dessa forma, contribuimos para o desenvolver do pensamento ativo, da iniciação, da referência e contato visual, da imitação, da espontaneidade.

Esse foi um jogo simples com Caio, de esconder objetos do seu interesse entre uma roda de bonecos. Daí fomos desenvolvendo a comunicação e cognição social.


Podem perceber que Caio apresenta as seguintes habilidades no decorrer do vídeo: imitação, iniciação, contato visual, ação coordenada comigo, gestos, comentários, prosódias, até que por fim ele mesmo já elaborava as perguntas para mim. O espaço e tempo para ele iniciar foi fundamental nesse jogo.


Indo além.....


Recomendações para o desenvolvimento de uma comunicação consciente e de partilha de experiências


Comunique-se para convidar a criança a compartilhar experiências simples aqui e agora.

  • Determine se o seu estilo de comunicação contém implicitamente compartilhamento ou demandas de desempenho.

  • Remova a resposta implícita ou demandas de desempenho da comunicação. Por exemplo, aprenda a fazer perguntas que reflitam sua curiosidade sem comunicar que espera da criança qualquer resposta "certa" ou "errada".

Use principalmente canais não-verbais de comunicação.

  • Avalie até que ponto a linguagem monopoliza e / ou domina sua comunicação, ao contrário de outros canais não-verbais.

  • Trabalhar no desenvolvimento do hábito de inverter a linguagem / domínio não-verbal.

  • Saiba quanto de influência você pode ter sem palavras.

Empregar linguagem com moderação, eficiência e de forma integrada com outros canais.

  • Torne-se consciente de sua "quantidade" típica de linguagem. A quantidade apenas cria mais demandas de processamento que eliminam o "trabalho" central de compartilhamento de experiências.

Comunique-se de uma forma que promova o pensamento

  • Avalie se o seu estilo de comunicação incentiva pensamento ativo ou reação passiva.

  • Observe o seu ritmo comunicativo natural para se certificar de que você está fornecendo tempo suficiente para a criança processar o que você está dizendo e responder de uma forma pensativa.

Determine se e como você pode estar inconscientemente assumindo muita responsabilidade comunicativa.

  • Avalie se você está inconscientemente aceitando tentativas da criança de controlar o ambiente de comunicação.

  • Aprenda a distinguir entre "influência" recíproca e controle unilateral.











Referência: https://stage.rdiconnect.com

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2017 por Motivação Autismo - Curitiba/PR